sábado, 4 de agosto de 2012

Receitas Caseiras para Mulheres Infiéis


O fundamental é o tempero. É daí que vem o temperamento, sem o qual o prato mais sofisticado resulta desenxabido. Uma mulher (e por que não um homem, depende do homem) sabe que, para singrar nas artes do amor, precisa de ter sempre o temperamento à mão. O segundo factor a ter em conta é, por conseguinte, a mão. Com tempero e mão, mão e tempero, o mundo é dos amantes!

Segundo o dicionário, tempero é:
1. Verbo: Colocar substâncias na comida para lhe dar bom sabor. = ADUBAR, CONDIMENTAR 
Vem mesmo a calhar para o que está em jogo. Que é a comida, mas não a mera comida, conceito que nada tem de sensual. O pasto que se aduba com o tempero conveniente tem outra dignidade e outra ambição. Aduba-se com mão de jardineiro para que nele desabroche o Verão de todos os frutos proibidos. Adubar é acrescentar cultura à natureza. Se o trabalho for bem feito, temos a santa aliança da mão e do tempero.


(...)

Com perdão ao dicionário, mas em culinária, o substantivo é infinitamente plural e só nessa dimensão merece ser acolhido. Passa-se com os temperos aquilo que uma personagem de Brecht dizia dos vícios: é preciso ter pelo menos dois, porque só um é de demais. Um tempero sozinho, sem um parceiro, não passa disso mesmo: de um parceiro sozinho sem tempero. Um solipsismo vicioso. Além de que - é do senso comum - os temperos são, na maioria, venenosos. E a intenção não é matar; pelo menos para já!!

Regina Louro in Receitas Caseiras para Mulheres Infiéis




Crepes de cacau com cereja e yogurte
http://gourmets-amadores.blogspot.com.br/2012/06/crepes-de-chocolate-cerejas-e-iogurte.html

Sem comentários:

Publicar um comentário