quinta-feira, 27 de novembro de 2014

chove

hoje penso em todas as mentes que através da fala e da palavra conseguem mexer no meu coração e trazer para mim toda a emoção da poesia




Chove...
mas isso que importa!,
se estou aqui abrigado nesta porta
a ouvir na chuva que cai do céu
uma melodia de silêncio
que ninguém mais ouve
senão eu?

Chove...

Mas é do destino de quem ama
ouvir um violino
até na lama.

José Gomes Ferreira

Sem comentários:

Publicar um comentário