quinta-feira, 22 de junho de 2017

caminho

os dias são velhos
enrugados
com linhas tortas

caminho manca.

mas
os dias velhos são
ainda dias

principio, meio e fim
e de novo.

os dias velhos são
cada vez maiores.
sinto-os longos.
os anos
sinto-os curtos.

os dias são
como eu: velha.

sou velha
e não sei até onde vou
ou até onde irei.

dou o melhor de mim para
os meus suspiros
o meu sangue
o meu ar

rasgo-me no que me resta
e pergunto-me o que me resta
um corpo
dois olhos
um coração
as mãos
que me fazem sentir
o outro que existe cada vez menos
que já não existe
que já foi
que já não sinto

as mãos que
eu sou

sou só eu e os meus
dias velhos

Sem comentários:

Publicar um comentário