quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

EXPLICAÇÃO (a Alberto de Serpa)

O pensamento é triste; o amor, insuficiente; 
e eu quero sempre mais do que vem nos milagres. 
Deixo que a terra me sustente: 
guardo o resto para mais tarde. 

Deus não fala comigo — e eu sei que me conhece. 
A antigos ventos dei as lágrimas que tinha. 
A estrela sobe, a estrela desce... 
— espero a minha própria vinda. 

(Navego pela memória 
sem margens. 
Alguém conta a minha história 
e alguém mata os personagens.)

Sem comentários:

Publicar um comentário